terça-feira, 25 de agosto de 2015

Reflexão de férias #1 - Entre o XS e o XL

Olá perfects,

Se a minha vida até ir de férias esteve a roçar o caos, estes dias de férias foram excelentes para descansar e para pensar numa série de coisas. A vantagem de estarmos alguns dias completamente out é que, para além de brincar com as crianças, apanhar sol, passear e ler livros (sim... li dois livros numa semana, já estava mesmo a sentir falta de ler), conseguimos parar para pensar e analisar aquilo que nos rodeia de forma crítica. Quem me segue no instagram já deve ter reparado que passei uns dias fora de Portugal. Com tempo para ver uma série de blogs, sites e revistas durante estes dias, além de ver as pessoas à minha volta na praia e não só, confirmei o que sempre achei, parece que só há dois tipos de mulheres: as magras e as XL (também conhecidas por plus Size). Pelo que observo à minha volta (podem não concordar, naturalmente) há um mundo enorme entre o S e o XL, que parece completamente ignorado. As fotos das bloggers e das revistas estão muito longe de reflectir a maioria da mulheres do sul da Europa. Faço este parêntesis porque, é fácil reparar que, por exemplo, as inglesas são, em média, bem mais esguias do que as portuguesas ou espanholas. No fundo, é-nos vendida uma imagem de moda que fica giríssima a pessoas magras e/ou altas, que usam S, XS ou vestem 36 (ou menos) mas que em muitos casos não favorece nada as pessoas que têm um 'pneusinho' ou aquela gordurinha que teima a aparecer nos sítios errados. 

Eu estou, nitidamente, incluída neste grupo. Não uso o S nem o XL, não sou especialmente pequena (meço cerca de 1,7m), tenho um IMC dentro do intervalo normal, mas não sou magra. Aliás nunca fui magra, nem quero ser. Não me interpretem mal, não estou aqui a defender o excesso de peso, ser gordo e pouco saudável, não é nada disso. Se acho que devia emagrecer um pouco? Não tenho a menor dúvida. Estes dois últimos anos não foram nada meus amigos, com tanto trabalho, stress e 3 crianças (sim eu sou daquelas que em stress me vingo na comida) e tempo para exercício físico igual a zero, fui recuperando alguns quilos que tinha perdido depois do nascimento da Mafalda (a mais novinha). Não é a primeira vez que já leram sobre tentativas de voltar ao regime, aqui no blog, que, tenho que reconhecer, não consegui cumprir (com a excepção dos 21 dias sem açúcar refinado, que cumpri e graças a esse brincadeira deixei de pôr açúcar no café e na meia de leite). Tudo isto para explicar que, querer perder algum peso não quer dizer querer ser magra. Ser saudável, ou como costumo dizer as minhas filhas, 'ser jeitosa' ;), isso sim, é um objectivo. Ser magra implica, muitas vezes, ficar com um ar mais velho e isso ninguém quer! Eu, pelo menos não. Já tive várias amigas minhas que viram o meu post sobre a dieta e me disseram para continuar a postar, porque assim, era para elas também um incentivo. Acho isso óptimo, poder ajudar outras pessoas que (como eu) não têm a genética (como muitas outras dizem que têm) a seu favor. 

No entanto, a razão deste post não foi essa. Uma outra coisa que me acontece várias vezes, quando me queixo que engordei um bocado nestes últimos anos, são as respostas: 'não parece', 'acho que estás muito bem', 'que exagero, até parece que és gorda'. Não é nada disso (já expliquei antes que o meu IMC está no intervalo normal), mas tem a ver com usar o número que sempre usei (pois, já sei que 3 filhas depois não é fácil) e achar que a roupa me fica melhor. Eu sou vaidosa, gosto de moda e gosto que as coisas me fiquem bem. Pelo que percebo, não sou a única à face da terra, ou sou? Pois, é isso que parece. Ao ver revistas e blogs de moda parece-me que há imensas mulheres magras, a quem todas as modas ficam bem e as outras, que mais vale comprarem roupas plus Size. Não é assim que eu vejo as coisas. Estando, ou não, no peso certo, tendo ou não um ou outro pneusinho irritante, temos de estar giras, de nos sentirmos giras e de usar roupas que nos fiquem bem. Há imensas alternativas em lojas como a Zara, a Mango, Massimo Dutti, HM, Salsa, UCB, Lanidor,... onde quem usa mais do que 38 encontra com facilidade, só tem é de saber escolher. Talvez seja isso que eu tento fazer, usar coisas que me favorecem e que, de alguma forma, escondem aquilo que não quero que se veja. ;) Por isso é que quando me dizem 'não parece' eu responde, muitas vezes, 'eu disfarço bem'! Atenção que eu não sou expert em moda, não coisa que o valha. É evidente que o meu gosto pelo lado estético, me faz estar atenta a muitos elementos, nomeadamente ao vestuário. Aliás, acho que a apresentação é importante, mas não é tudo. Uma boa primeira impressão pode ser a diferença entre conseguir um trabalho ou não, o que vestimos reflecte parte do que nós somos, mas nós somos muito mais do que a nossa aparência. Dito isto, acho que a moda deve funcionar sempre a nosso favor e nunca ao contrário. 

Já devem estar cansadas de ler este texto, por isso, vou concluir. A minha reflexão de férias tem exactamente a ver com esta questão: se a grande maioria das mulheres que eu vejo veste 38 ou mais, porque é que não vemos (se conhecerem por favor digam-me) bloggers que assumam esse facto e mostrem moda para essas pessoas? Não seria útil? O que acham, sou só eu que penso assim e afinal a maioria das mulheres são magras? Gostava de saber a vossa opinião?



Obrigada por estarem de volta.

Beijinhos,

Inês

BE HAPPY, BE PERFECT!



9 comentários:

  1. Tão real!!! Apoio a 200%.

    ResponderEliminar
  2. Tão real!!! Apoio a 200%.

    ResponderEliminar
  3. Parece-me muito pertinente e muito boa ideia. Eu iria seguir mais vezes e creio que ajudaria muita gente a andar melhor consigo mesma. 😃

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ana Rita, quem sabe não é uma ideia.
      Beijinhos.

      Eliminar
  4. Inês, adorei o teu post....Revejo-me em cada palavra que escreveste...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Gisela, ainda bem que não sou a única.
      Beijos.

      Eliminar
  5. Querida Inês, nota máxima para esta publicação! Concordo inteiramente consigo, e o seu texto revela que é uma mulher muito sensata. Um beijinho, Manuela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que querida Manuela. Obrigada, mas como qualquer outra tenho dias. ;)
      Beijinhos.

      Eliminar